Apostila-I

   

Aprenda com Vídeos Aprenda Lendo C U R S O S Hotel / Hospital Brindes Corporativos Sobre a Bonsai Kai
Comprar Bonsai Comprar Adubos Comprar Ferramentas Comprar Vasos Comprar Arames Comprar Substrato
           
Cuidados Gerais com o bonsai - Guia Completo
 

1 - O Local ideal para se colocar os bonsai

Os bonsai, embora sejam pequenos, são tão árvores como as grandes.
Eles devem viver em locais onde possam receber sol, ventilação, chuva e principalmente a umidade da noite. Um terraço, uma varanda, um jardim ou simplesmente o peitoril de uma janela, são locais apropriados para se colocar o bonsai.
Como o bonsai oferece a vantagem de maior mobilidade, podemos protegê-lo de altas temperaturas no verão e de geadas no inverno, removendo-o para local resguardado. Mas logo que o perigo passar ele deverá voltar para o local mais apropriado.
 

  • Como podemos proteger o bonsai das altas temperaturas  ?

As árvores absorvem  água pelas raízes e conduzem-na pelo tronco e galhos até às folhas. Essa água, que chega às folhas destina-se à produção de açucares e amido, através da fotossíntese e da transpiração. Se o tempo está seco e quente, evapora-se muita água pelas folhas. Mesmo que não deixemos de regar, pode acontecer que a água chegada às folhas através da absorção das raízes não ser suficiente face a grande evaporação devido ao intenso calor. Se isso acontecer podem surgir queimaduras nas pontas das folhas, principalmente nas árvores de folhas grandes e delicadas. Para evitar que isso aconteça,  devemos simplesmente proteger o bonsai borrifando as folhas com água.

  • Onde colocar o bonsai dentro de casa ?

Não há árvores de interior, mas existem condições especiais de interior que permitem seu cultivo. 
Dentro de casa faltam condições ( sol, vento, umidade...) para a vida sadia de um bonsai.
Precisamos então fornecer condições dentro da casa semelhantes às do exterior.  
O lugar ideal para colocar um bonsai dentro de casa é perto de uma janela grande e bem iluminada ( sem cortinas ), onde os raios de sol possam atingir suas folhas (no mínimo por duas horas diárias).
O ambiente das casas geralmente é seco demais para a saúde de um bonsai. O melhor local para colocar o bonsai dentro de casa é uma sala fresca e arejada, longe de lareiras, ou eletrodomésticos que transmitam calor.

  • As espécies que mais se adaptam as condições acima são:

De maneira geral os bonsai de árvores tropicais !
Ex:  Buxus, Carmona, Ficus Podocarpos, Sagerétia, Serissa, etc.. 

  • As espécies que se adaptam melhor fora de casa, numa sacada ou peitoril ou mesmo no quintal protegido do sol do meio dia e com incidência de sol acima de duas horas diárias são, no geral:

As árvores de flores e frutos como também a maioria das árvores caducas !
Ex: Acer Vermelho, Acer Tridente, Azalea, Ligustrum, Macieira, Oliveira, Piracanta, Primavera, Reseda, Romã, Ulmus, etc...

Espécies que só se adaptam fora de Casa, com incidência de sol acima de seis horas diárias são:

Os Pinheiros e Coníferas.
Ex: Cipreste, Ginco biloba, Juniperus, Metasequoia, Pinheiro Branco, Pinheiro Negro,  etc...
 

 

 2 - Rega

Os bonsai devem ser regados. Eles são plantas. Sem água morreriam. As plantas que vivem no campo, alcançam com suas raízes a água armazenada no solo mais profundo. As que vivem num vaso só encontram a água que está na terra do próprio vaso. Por isto os bonsai precisam ser regados com maior ou menor freqüência.

  • Quando devemos regar o bonsai ?

Deve-se regar o bonsai quando a superfície da terra se apresentar seca. Ou seja, a terra apresenta uma aparência mais pálida, embora o bonsai ainda não mostre indícios de murchar. Outra maneira é tocar a superfície da terra com os dedos para sentir se ela ainda está úmida, neste caso não é preciso regá-la. 
Como as plantas secam mais no calor, mais no sol do que na sombra, mais ao vento, etc... não podemos prever com exatidão quando é que o bonsai precisará de água. A partir da convivência com o bonsai o dono conhecerá os limites para esta rega. Não podemos portanto recomendar "regue todos os dias" ou "regue uma vez por semana" , o conselho apropriado é: "Aprender a regar só quando a árvore precise".
Como regra geral, regue-o todos os dias em que a temperatura for maior que 20oC e, dia sim dia não, quando abaixo dessa temperatura.

 

  • Como se rega o bonsai ?

Devemos regar muito bem, toda a terra do vaso, até que ela esteja inteiramente úmida. Rega-se por cima uma vez para que a umidade abra os poros da terra. Alguns minutos depois volta-se a regar até que a água saia pelos orifícios de drenagem. Não se deve deixar nenhum tipo de bandeja que acumule água embaixo do bonsai. Lembre-se que a "terra" tem que respirar. 

Quando a terra do bonsai for muito pastosa, recomenda-se a rega por imersão, deixando-se o bonsai por aproximadamente três minutos dentro de uma bacia com água. Também pode-se regar desta maneira os bonsai que por descuido, ficaram secos. Leia a seguir sobre vaporização.

 



  • Com que água é preciso regar o Bonsai ?

A melhor água para regar é a da chuva, ou de uma fonte com pouco cal e sais. A água das cidades costuma conter cloro e cal para desinfecção, o que pode prejudicar as árvores. Para sanar o efeito do cloro devemos colocar água em um recipiente aberto por um dia, para que o cloro evapore. Mas o cal fica na água e não se elimina. 
Como a água das cidades não é muito calcárias podendo-se usá-la normalmente. Se tivermos que regar com água que contenha cal, será necessário transplantar o bonsai mais vezes. E não devemos borrifar as folhas  muito freqüentemente  com essa água, pois as folhas ficariam com manchas da cal.  

  • O que é pulverização ?     Devemos pulverizar os bonsai ?

Pulverizar é borrifar as folhas dos bonsai com água dispersa à pressão na forma de uma chuva muito fina. As árvores que vivem no campo recebem muitas vezes o orvalho da manhã, o que representa uma fonte de vitalidade importante para as plantas. Nos vales agrestes das montanhas a quantidade de água recebida através do orvalho chega a ser superior à água recebida pela chuva, o que nos pode dar idéia da importância do orvalho para essas plantas. O bonsai que vive em cidades ou os que passam grandes temporadas no interior das casas, quase nunca recebem esse benéfico orvalho. Também não recebem água da chuva e suas folhas enchem-se pouco a pouco de pó. Pulverizar é importante para a limpeza das folhas e para vitalizar as árvores que vivem em ambientes secos. Faça-o periodicamente.

 

 

  • Quando e como devemos pulverizar os bonsai ?

Se a intenção for de apenas limpar as folhas, pulverizar apenas uma vez é o bastante. Se a intenção é animar o bonsai cansado, faz-se necessário pulverizar as folhas todos os dias. 
Devemos borrifar as plantas com um pulverizador ou com uma mangueira que possua uma rosa que proporcione uma chuva muito fina, devendo-se fazê-lo de cima para baixo e de baixo para cima, para que a água chegue em todas as partes das folhas.  A melhor água para pulverização é aquela livre de cloro, cal e sais. Quanto mais pura for a água com que borrifarmos, melhor. Se borrifarmos com água com muito cal, em vez de revitalizarmos a planta, estaremos tampando-lhe os poros e deixando-a com manchas brancas. As plantas de folhas fortes e brilhantes são as que se sujam mais ( ficus, oliveiras, laranjeiras,....). Se não dispusermos de uma água melhor, será preferível molhar as folhas apenas para tirar o pó.

 
  • Como fazer para regar os bonsai quando não estamos em casa ?

A rega freqüente do bonsai pode se tornar um problema se tivermos que nos ausentar por qualquer motivo de nosso domicílio. Se a quantidade de bonsai for grande, existem no mercado numerosos programadores de rega que regulam a freqüência e duração da rega enquanto estivermos ausentes. Não esqueça que seu bonsai nunca deverá ficar seco. Em último caso contrate um serviço de hotel ou deixe com um amigo, em uma floricultura, improvise...

 

3 - Adubação

Todos nós nos alimentamos diariamente. Os alimentos são imprescindíveis para a vida. As plantas alimentam-se dos sais nutritivos que extraem do solo. Como os bonsai vivem em vasos pequenos, a árvore depois de algum tempo poderá ter consumido todos os nutrientes da terra. Teremos então de ir repondo esses nutrientes por meio de adubos.
É preciso adubar principalmente nas épocas de crescimento mais acelerado das plantas ( Primavera e Verão ). Entretanto a adubação deve ser feita sem exageros. É melhor adubar em pequenas quantidades e com maior freqüência do que fazê-lo esporadicamente em grandes quantidades.

  • Por que devemos adubar nossos Bonsai ?

É Claro que se compreendermos bem o funcionamento das plantas, saberemos muito melhor como cultivá-las. A absorção da água do solo através das raízes além de hidratar a planta, possui a função de "carregar" consigo outros elementos essenciais à sua nutrição. Os principais nutrientes ou adubos existentes no solo e usados pelas plantas são divididos em dois grupos: os macronutrientes, exigidos constantemente pelas plantas e os micronutrientes , , exigidos em pouca quantidade. Ao final desta página listamos os macro e os microelementos mais importantes e suas principais funções.

É importante lembrar que adubar os bonsai acima do necessário é extremamente prejudicial à planta, podendo até vir a matá-la. No entanto devemos sempre adubar os bonsai para que possamos mantê-los saudáveis. É difícil que plantas sadias e bem cuidadas fiquem doentes.

Quais os tipos de Adubos disponíveis para uso ?

Podemos classificar os tipos de adubo pela forma de uso, estado natural e composição:

 

CLASSIFICAÇÃO DE ADUBOS

I - Quanto a Forma de Uso

Foliar

de Solo

É aplicado diluindo-se o produto na dosagem especificada pelo fabricante e borrifando sobre as folhas. A absorção deste tipo de adubo pelo vegetal é praticamente instantânea.

É aplicado na dosagem especificada pelo fabricante aplicando-se diretamente no solo do bonsai. Sua absorção é gradual.

 

 

II - Quanto a Seu Estado Natural

Liquido

Sólido

Pode ser Foliar ou de solo, deve ser diluído em água.  É muito usado para recuperação da aparência do bonsai.

Pode ser em pó ou em grão. Em pó deve-se diluir em água e aplicar no solo ou via foliar. Quando em grãos é do tipo "de solo".

 

 

III - Quanto a sua Composição

Geralmente no rótulo dos adubos existem três números, 00-00-00, estes indicam a concentração de
respectivamente de N - P - K ( Nitrogênio, Fósforo e Potássio), esta concentração varia de acordo com o tipo de planta e a necessidade do vegetal.

 

Quais são os principais nutrientes e suas funções ?

Mostramos aqui os principais nutrientes e suas principais funções no metabolismo de um vegetal:

 

PRINCIPAIS NUTRIENTES

Macronutrientes Principais

N
Nitrogênio
Crescimento da parte  Aérea
( enfolhamento ).
Parte integrante da constituição das proteínas (base física da vida).

P
Fósforo
Floração, Frutificação e ajuda a formação do sistema de raízes .
Sem fósforo o vegetal não respira e nem faz fotossíntese. O DNA contem fósforo.

K
Potássio

Plantas bem providas de potássio resistem mais ao frio, seca, a pragas e doenças.

 

 

 

 

 

 

Macronutrientes ( 2a. Escala )

Mg
Magnésio
Composição da Clorofila e Ativador de enzimas. Ajuda na absorção do fósforo.

S
Enxofre
Síntese da Clorofila e
absorção do CO2.

Ca
Cálcio
Crescimento e funcionamento das raízes e da fecundação do vegetal.

 

 

 

 

 

 

Micronutrientes

Cl
Cloro
Decomposição da água na fotossíntese.

Cu
Cobre
Respiração e síntese
 da clorofila.

Co
Cobalto
Absorção do Nitrogênio
na fixação simbiótica.

B
Boro
Desenvolvimento de Raízes, frutos e sementes.

Mn
Manganês
Absorção do CO2
na fotossíntese.

Mo
Molibdênio
Fixação do nitrogênio.

Zn
Zinco

Produção e Maturação de Sementes.

Fe
Ferro
Respiração, síntese da Clorofila e fixação do nitrogênio.

E muitos outros....
 

Dicas para uma correta adubação

Somente adubar bonsai sadios.
Nunca adubar plantas debilitadas ou doentes.

Sem experiência é muito melhor ser moderado na adubação.

Não adubar árvore recém transplantada. Esperar de um a dois meses para adubá-la.

Os adubos de boa qualidade sempre trazem descritos em sua embalagem a dosagem correta para cada tipo de uso, composição e maneira de uso.

Cuidado com adubos orgânicos do tipo "Torta de Mamona" ou "Farinha de osso" ou "Estercos", É muito fácil errar na quantidade adequada. Isso pode ser fatal para os bonsai.

Cada espécie de árvore possui uma época certa para ser adubada.
 Veja no Guia de Cuidados da espécie de seu bonsai.

Se o adubo não for de uso específico para bonsai, devemos usar metade da dosagem recomendada para plantas envasadas.

O adubo líquido geralmente requer disciplina em sua aplicação pois tem efeito por curto período de tempo.

Espalhar os adubos sólidos nos cantos dos vasos, evitando colocar junto ao tronco.

 

Para árvores de bonsai que produzam flores e frutos use adubos com maior concentração de Fósforo.
Ex: 4-14-8 ou 8-12-10

Para árvores de bonsai que não produzam flores e nem  frutos use adubos com maior concentração de Nitrogênio.
Ex: 10-10-10 ou 8-4-6

 

4 - Troca da terra ( transplantar )


As raízes de todas as árvores crescem para encontrar água que precisam para viver.  Do mesmo modo as raízes dos bonsai crescem.. Só que no vaso, elas não tem tanto espaço, o que provocará um congestionamento de raízes,  depois de um determinado tempo. Assim sendo, quando uma árvore cresce num vaso, as raízes se espalham até ocupar a totalidade desse espaço limitado. Ao mesmo tempo a terra vai se esgotando e perde a faculdade de proporcionar os nutrientes de que a árvore necessita. Ao regarmos  nesta situação, observamos que a água penetra com dificuldade na terra envelhecida. Se levantarmos o torrão de terra onde está o bonsai, notaremos que as raízes emaranharam-se formando um novelo compacto de raízes, prejudicando o crescimento e o desenvolvimento da planta. A providência é a troca da terra e a poda das raízes.
A freqüência de transplantação ou troca de terra varia segundo a espécie,  idade e a velocidade de crescimento das raízes daquela planta específica. O curioso é que a velocidade de crescimento das raízes varia segundo o solo e o  ambiente em que a arvore viveu em seu habitat original.  Se o solo do ambiente onde a árvore se adaptou durante décadas ou até mesmo séculos é seco, a velocidade de crescimento das raízes deve ter sido rápida, para procurar e alcançar água, muito mais do que o de uma árvore acostumada a solos úmidos. A freqüência pode variar muito, desde as frutíferas que, em regra geral, devem ser transplantadas anualmente, até os pinheiros que podem ser transplantados a cada 5 ou 7 anos.
Dentro do Guia de Cuidados da espécie de sua árvore que pode ser acessada  no topo desta página, você terá a informação do período de transplantação do seu bonsai. Agende para trocar a terra regularmente dentro dessa freqüência.

É importante lembrar que existe época adequada do ano para a transplantação, que variará também de acordo com cada espécie de árvore.

  • Qual é o solo ideal para usar no bonsai ? 

A composição certa da terra para ser usada dependerá da espécie do bonsai. Normalmente devemos imitar a umidade natural correspondente ao solo onde a árvore viveu durante toda sua existência.

  • O que é umidade ? como podemos medi-la ?

Umidade é a quantidade de água que o solo é capaz de armazenar. A umidade de um solo é determinada pela relação entre o peso da água que existe nesse solo e o peso do solo úmido, de maneira que para se medir a umidade de um solo seria necessário fazer com que o mesmo secasse completamente:

Umidade =

Peso do Solo úmido - Peso do Solo Seco

Peso do Solo úmido

 A umidade é medida em porcentagem.

Ex: Se quisermos medir a umidade de uma mistura de solo que esta em um recipiente devemos fazer o seguinte:

1. Pesar o Solo úmido ( Ex: 10 Kg )
2. Colocar este solo por um período suficiente em um forno acima de 100oC para que toda a água deste solo se evapore.
3. Pesar o solo seco ( Ex: 8 Kg )
4. Calcular ( 10 - 8 ) / 10 = 2 / 10 = 20 / 100 = 20%
5. A umidade deste solo naquele momento era de 20%.

Obs: A umidade é uma MEDIDA INSTANTÂNEA, logicamente variará com o tempo, pois a água vai se evaporando. 

As árvores em geral necessitam de uma umidade entre 15% (Quinze por cento) e 25% (Vinte e Cinco por cento) para realizarem a fotossíntese com eficiência máxima. Com essa umidade as células das raízes podem bombear os nutrientes juntamente com a água para a alimentação e hidratação das folhas. 
Se pudéssemos manter essa umidade permanentemente no solo dos bonsai forneceríamos uma condição de alimentação ideal para nossas árvores. Essa umidade é chamada: "Umidade Ótima".

  • O Que altera a umidade do Vaso ?

Obviamente existem outras variáveis em nossos bonsai e no ambiente que fazem mudar constantemente a umidade, desviando-a do que seria o ideal, algumas delas são:

1.      Clima

Logicamente a evaporação da água é muito maior durante os dias de verão (Calor) do que durante o inverno (Frio).

Além disso a própria natureza e funcionamento das raízes dependem da temperatura. A faixa ideal de temperatura para a absorção de nutrientes pela raízes, na maioria das espécies de árvores, se encontra entre 20oC a 35oC. 
Quando a temperatura do solo onde as raízes se encontram estiver abaixo de 15oC ou acima de 35oC a árvore poderá entrar em dormência e assim não estará se alimentando.

2.      Local onde o Bonsai permanece

Se colocarmos nosso bonsai exposto ao sol o dia todo a evaporação de água será maior do que se o colocarmos à meia sombra. Este fator deveria ser solucionado pela pesquisa da melhor insolação para a árvore, mas nem sempre o colecionador terá um local ideal de exposição ao sol rigorosamente dentro do que a planta precise. Logo esta também será uma variável.

3.      Profundidade do vaso

A evaporação da água é muito maior na superfície do vaso, onde a água estará em contato com a temperatura ambiente, o ar mais seco e o vento. Logo quanto mais profundo for o vaso, maior será a retenção de água ou por mais tempo o solo se conservará úmido.

4.      Material do vaso

A superfície interna do vaso deverá ser porosa, de preferência argilosa, para favorecer a retenção de água.

5.      Mudanças de Estação (Produção de frutos, flores, etc.)

A absorção de água pela árvore também varia de acordo com a estação que os bonsai se encontram. Quando estão produzindo frutos a absorção de água pela planta é maior do que em outra épocas.

6.      Mistura de solo utilizada

A mistura de solo utilizada no bonsai deverá ser suficientemente capaz de manter por maior número de horas a umidade na faixa ideal.

Este é um ponto importante em nosso estudo, pois pelo que vimos acima será muito difícil controlar todas as variáveis que influem na umidade.
Como controlar o clima ?   As mudanças de estação das plantas? , Seria então necessário colocarmos medidores automáticos de umidade, regadores eletrônicos e outras parafernálias  ? !!!
Obviamente se fosse tão complicado assim, seria melhor trocar de hobby !

É possível elaborarmos uma mistura de solo que providencie a manutenção da umidade dentro da faixa ideal por um período longo, normalmente de 12 a 48 horas,  onde a planta possa se alimentar e manter-se plenamente sadia até uma nova rega.

Obviamente nos atentaremos para as condições adversas do normal.

·         Solo Ideal

Podemos definir como solo a camada existente na superfície da terra resultante da decomposição e desintegração das rochas pela ação de agentes atmosféricos. Este constitui o meio para o desenvolvimento das plantas, fornecendo ar, água, nutrientes e sustentação.
Sua composição deriva das rochas (Matéria Inorgânica) e da desintegração de vegetais e animais (Matéria Orgânica).
Os microorganismos (Bactérias e Fungos...) e pequenos animais (Minhocas...) presentes no solo, alimentam-se de matéria orgânica transformando-a em húmus. A decomposição do húmus produz nutrientes minerais que são absorvidos pelas plantas.

O solo é composto basicamente de Areia, Silte, Argila e Matéria orgânica:

 

Argila: Composta de partículas microscópicas (menores que 0,002mm) em forma de bastões, com grande poder de retenção de água. Quando moldada com água se a jogarmos no chão ela não se desagrega.

 


Areia:
Compostas de partículas visíveis ( maiores que 0,02mm até 5mm) de forma arredondada. Quando amassados com a mão, não se aglomeram. Como suas partículas são maiores e arredondadas, formam-se vazios entre os grãos, proporcionando pequenos canais onde a água percorre com maior facilidade em condições ideais de drenagem.

 

 

Silte: Composta de partículas microscópicas(maiores que 0,002mm e menores que 0,02mm),  com poder de retenção de água. Quando seco esfarela e se  desagrega quando submerso.

Matéria Orgânica
: Possuí coloração escura, consistência plástica e fibrosa.  

 

Na horticultura dos bonsai é importante entender que estamos trabalhando com pouquíssima quantidade de solo, tornando o vaso um verdadeiro laboratório  de reações vitais para nossa planta. Uma das preocupações adotadas pelos grandes colecionadores do mundo tem sido a prevenção de doenças ocasionadas por solos contaminados por bactérias e fungos. 
E apesar de se saber da importância de algumas bactérias e fungos nas reações de absorção de nutrientes pela raiz, através da simbiose, está sendo cada vez mais adotado o procedimento de redução do volume de matéria orgânica no substrato (Mistura de solo) para o bonsai.

Adotaremos dois procedimentos para evitar ao máximo contaminações causadas por fungos, bactérias ou vírus procedentes de solos orgânicos: 

1. A porção máxima de solo orgânico no substrato do bonsai não deverá ultrapassar 20% ( Vinte por cento) do peso total da mistura.

2. Certificar-se que esse solo orgânico esteja curtido.

Teremos sempre uma mistura predominante de dois componentes, Areia e argila. De preferência estes devem ser granulados nas seguintes categorias:

De 4mm até 6 mm Ideais para vasos pequenos e planos. Ótimo para coníferas velhas.
De 3mm a 4 mm Ideais para coníferas jovens e bonsai de meia idade.
De 1mm a 3mm para qualquer espécie jovem e de meia idade.

Não usar solos com granulação
menores do que 1mm e maiores do que 6mm
para bonsai.

A saúde dos bonsai depende das raízes, que por sua vez dependem do substrato ( Mistura de solo ). Logo devemos escolher muito bem a mistura que usaremos para nossa árvore. As raízes fixam a planta no vaso, absorvem a água e os sais minerais e os conduzem até o caule. É imprescindível lembrar que as raízes precisam respirar. Portanto se a planta é regada em excesso, ou se o solo é impermeável, as raízes podem morrer ou apodrecer.

Como sugestão fizemos uma relação das árvores mais usadas e as regiões do país para que você possa encontrar a melhor mistura.

 

  • Em que época devemos transplantar os bonsai ?

A melhor época, no geral,  para se transplantar um bonsai é o fim do inverno, quando a planta vai iniciar o seu período de crescimento. Veja a época com precisão no guia de cuidados específicos de cada tipo de de árvore.

 

  • Como transplantar um bonsai ?

 

 

1. Retirar o torrão de terra com uma espátula, separando-o do vaso. Olhe embaixo do vaso para ver se ele não está preso ao solo por meio de arames.

 

2. Separar, tendo a mão  todo o material para transplantar ( vaso, terra, ferramentas...) para não interromper a operação.

3. Levantar a árvore do vaso, tirar a terra velha (no Maximo 70% do total) desembaraçando as raízes com a ajuda de um Raque ( ferramenta de ferro com aparência de garfo). Se preciso, usar um jato de água de esguicho.

4. Com a maior parte das raízes livres de terra velha, cortar aproximadamente um terço de todas as raízes. Este procedimento estimula uma nova brotação. Use uma tesoura para cortar as mais finas. Não poupe as raízes mais grossas, pois estas só ocupam o espaço das raízes de alimentação que são as mais finas.

5. Replantar a árvore com terra nova, fazendo uma compactação leve por meio de pauzinhos ( talher japonês por exemplo ) para que o solo penetre entre as raízes, sem deixar bolsas de ar. Segurar de leve com movimentos circulares.

6. Submergir o vaso dentro de uma bacia com água, de preferência com algum tipo de hormônio enrraizador,  para que saia todo o ar da terra.
Deixar pausar por uma hora dentro da bacia.

 

 

 IMPORTANTE:
Após a transplantação são necessários alguns cuidados com o Bonsai, pois acabamos de cortar o orgão com que o mesmo absorve água (Raízes) para hidratar-se.  São Eles:
6.1. Reduza o metabolismo da árvore poupando-a do sol até que ela volte a brotar, geralmente não mais do que 10 dias.
6.2 Proteja-a também do Vento.
6.3. Borrife as folhas do bonsai durante esse período, o maior número de vezes possível para que não se desidratem.
6.4. Continue regando normalmente.

7.    Escorrer.

 

5 - Como dar forma aos Bonsai

I - Arte Bonsai

A Arte bonsai procura inspiração nas formas existentes na natureza.
Essa busca nos leva a um espectro riquíssimo de texturas, formas e cores, tornando nosso hobby um dos mais interessantes e criativos.
Como toda arte, podemos nos basear em alguns padrões para que possamos chegar com maior facilidade a resultados satisfatórios. Esses padrões consistem na semelhança das proporções encontradas em árvores com idade muito avançada, ou seja procurando sempre assemelhar nosso bonsai às formas de árvores antigas. Obviamente estas regras não se encaixam a todas as árvores antigas, mas à maioria delas.

Alguns procedimentos na composição das árvores serão importantes para que possamos desenvolver um trabalho esteticamente equilibrado, são eles:
# As Raízes e a grossura do tronco na base da árvore.
# Altura
# Posição dos galhos no tronco.
# Largura da copa.

As árvores mais antigas na natureza são normalmente encontradas, onde as condições de temperatura e pressão são relativamente baixas. Isso acontece no alto das montanhas, onde as temperaturas permanecem abaixo de zero a maior parte do ano. Essa condição nos mostra árvores com troncos impressionantemente retorcidos, copas das mais diferentes formas, devido à ação do tempo. O vento, temperatura, umidade, além de outras condições formam verdadeiras esculturas vivas, que nos encantam por sua beleza e diferenciação estética.
Os galhos mais antigos tem sua inclinação voltada para baixo, pois é a ação do peso que provoca este efeito. Imitaremos isso nos bonsai. A forma cônica das copas são fatores estéticos coletados por observação que devem ser levados em conta na elaboração do bonsai. Se ainda pormenorizar nossa atenção e nos atentarmos as características de texturas e cor da casca dos troncos poderemos projetar modelos ou réplicas das formas das árvores mais antigas criando assim a impressão visual de tensão que são transmitidas através da estética natural e captada pela sensibilidade do homem.

Na composição do bonsai inclui-se logicamente o vaso, que deve adequar-se ao conjunto, de maneira que sua massa visual ( Razão entre a área do vaso e área total do conjunto ) não seja superior a 25% ( Vinte e cinco por cento ). Esta preocupação aliada com a escolha de uma forma e textura adequadas,  fará com que o vaso não se evidencie mais do que a própria árvore, pois é o conjunto arvore-vaso que cabe a proeminência estética.

 

II - REGRAS DE PROPORÇÃO

Nossa preocupação é a de dar ao artista a noção de análise de um bonsai esteticamente atraente. As regras que serão exposta são baseadas em formas de árvores centenárias. Estas podem ser divididas em dois grandes grupos, as árvores masculinas onde o movimento da linha do tronco e sua esbelteza são mais contidos. As árvores femininas possuem completa liberdade em seu  desenho. As regras que se seguirão são aplicáveis às árvores masculinas.

1. Relação entre a Largura do Tronco na base e a altura do Vaso

A altura do vaso deverá ser menor ou igual à largura do tronco na base da árvore. Esta é uma regra fundamental na identificação da grande maioria dos estilos de bonsai. Pode-se dizer que o bonsai somente será autêntico se obedecer esta regra e concluir que a maioria dos bonsai que vemos com os troncos muito fininhos e vendidos em grande número, na verdade não são bonsai, são mudas. 

O cultivo de árvores com o tronco muito fino cria a ilusão que com o tempo o tronco poderá engrossar e criar condições estéticas de bonsai. Na verdade para se engrossar o tronco de uma muda, além de tempo, é necessário aumentar muito seu volume de copa e raízes, coisa que não conseguiremos enquanto a muda estiver em um vaso pequeno e sendo podada como bonsai.
Como então poderemos transformar uma muda em bonsai?
Para isso, precisaremos aumentar o volume de copa e raízes suficientemente para aumentarmos o fluxo de seiva entre eles. Dessa maneira precisaremos de condutores de seiva, ramos, galhos e tronco, maiores para suprir essa demanda. E como poderemos manter nesta condição a forma de bonsai sem podar a copa ?   O que é feito nesta operação é deixar alguns galhos (que não participarão do bonsai no futuro) crescerem sem poda, estes serão podados (inteiramente) quando a muda já tenha forma de bonsai e condições estéticas para ser plantada em um vaso pequeno.
É fácil entender que além da técnica será necessário tempo e dedicação para que isso aconteça.
Valorize os bonsai que possuam troncos grossos, pois eles representam dedicação, tempo e um longo trabalho.
Existem artifícios para criar uma impressão de maior largura de tronco: Podemos aumentar o volume de terra acima do bordo do vaso causando uma impressão de engrossamento na base do tronco. Mas não passa de um artifício condenável em uma análise criteriosa. 
Obedecendo esta regra, devemos escolher o vaso de acordo com a árvore e nunca o contrário.

2. Altura da Árvore

A áltura da árvore será seis vezes o diâmetro do tronco na base do bonsai.
É de suma importância que se observe esta regra em uma análise qualitativa.
As árvores que possuam altura maior que seis vezes o diâmetro do tronco, deverão sofrer uma poda de galhos de maneira a se aproximarem dessa relação. Isso será mais fácil do que esperarmos engrossar o tronco, o que levaria muito tempo.

Apesar da paciência ser uma virtude indispensável na arte do bonsai, é desejável e inteligente usar os recursos disponíveis pela ciência e pela tecnologia modernas. Elas nos ajudarão na formação estrutural e na proporcionalidade, no adensamento da copa, e na escolha de um vaso "definitivo" para que o trabalho , inicialmente visualizado, ganhe o mais belo acabamento estético.
Já nas árvores em que observarmos que a altura da árvore é menor do que seis vezes a largura do tronco na base, poderemos trabalhar no desenvolvimento de sua altura. 

3. Comprimento e Largura do Vaso

Para vasos retangulares ou ovais:

A)  O comprimento da bandeja deverá medir aproximadamente dois terços da altura da árvore.

B) A largura da bandeja deverá ser um pouco menor que a largura da copa vista de perfil.

Para vasos redondos:

O diâmetro da bandeja deverá medir aproximadamente dois terços da altura da árvore. Esta medida deverá ser aproximadamente igual à largura frontal da copa.

 4. Altura da Primeira Massa foliar do bonsai

O primeiro galho do bonsai deverá ser o mais grosso e nascer preferivelmente a um terço da altura da árvore. Isso fará com que a primeira massa verde se localiza no primeiro terço da altura do bonsai. É bom salientar que a regra fundamental é a localização da primeira massa foliar a um terço da altura e não o nascimento do primeiro galho nessa altura. Logo, o galho poderá nascer mais alto, mas a primeira massa foliar deverá ser fixada à altura de um terço da altura do bonsai.

Outra regra importante com relação ao primeiro galho é que este nunca deverá apontar para o observador ou para a frente do bonsai. O mesmo deverá se direcionar para um dos lados do bonsai, facilitando triangulação do conjunto e tornando mais evidente o tronco.

5. A Disposição dos Três Primeiros Galhos  

Os três primeiros galhos e suas respectivas folhagens objetivam a formação da base de triangulação do bonsai. Isto é coordenado de maneira simétrica dividindo-se a base do cone, uma circunferência, em três áreas ocupadas cada uma por um dos três primeiros galhos.

6. A Disposição da Árvore no vaso

Para vasos quadrados ou ovais a árvore não deverá ser colocada no centro do vaso, mas sim a um terço da largura do mesmo. No outro lado de comprimento igual a dois terços da largura do vaso deverá ser direcionada a maior massa da copa.

Nos vasos redondos deveremos colocar a árvore rigorosamente centralizada.

 

III - TÉCNICAS PARA DAR FORMA AOS BONSAI

A poda, aramação e pinçagem são os tratamentos apropriados para se dar forma ao bonsai. Em linhas gerais, procuraremos dar ao bonsai a forma que mais se aproxime da árvore quando em seu habitat natural.

1. Poda

Podar é estilizar a formação de uma árvore.  Com a poda eliminamos os ramos defeituosos ou os ramos desnecessários ( os que saem da zona não desejada no desenho da copa ).  Na figura ao lado podemos ver uma serie de defeitos: Vemos o "Galho Ladrão", este rouba a força da árvore; os "Galhos Opostos" criam uma estética visual desagradável; "Galhos Radiais" que nascem na mesma altura da árvore; "Galhos Verticais" com uma inclinação exagerada para cima; e, Vemos "Galho que cruza o tronco", onde falta naturalidade.

 
A melhor época para podar é geralmente no final do inverno, quando as árvores, então em repouso, não perderão seiva pela ferida da poda.
 

Para podar devemos utilizar ferramentas adequadas de corte côncavo e tesouras bem afiadas. O Alicate côncavo realiza um corte limpo penetrante na casca favorecendo uma cicatrização melhor alem produzir um efeito estético adequado. Em algumas espécies como as coníferas podemos fazer antecipadamente um pré-corte para depois, quando a madeira secar, executarmos o acabamento.  Quando as feridas da poda forem de grande tamanho (maior que o diâmetro de um cigarro), é conveniente cobri-las com pasta de selagem para garantir sua perfeita cicatrização. Pode-se usar clara de ovo, tinta PVA, massinha de modelar, graxa de sapato ou cera de abelha.

 

2. Pinçagem / Poda de Manutenção

Chamamos de pinçagem ao corte da ponta das novas brotações. A pinçagem é feita para conseguirmos aumentar a densidade das folhagens e diminuir o tamanho de suas folhas ajudando na formação da copa do bonsai. É feita em época de grande crescimento da árvore. Como as árvores tem diferentes formas de crescimento, não devemos pinçar todas as árvores da mesma maneira. Devemos então conhecer como as árvores crescem para sabermos como podá-las melhor:

 

2.1 Pinçagem de "Árvores de Folhagem Perene"


Árvores que não perdem as folhas no inverno ( Ficus, Oliveira, Sagerétia, Serissa, Carmona, Laranjeira, Buxo, ...)
As árvores de folhagem perene têm brotação muito intensa e devem ser pinçadas constantemente. Como pode ser visto abaixo a poda de um ramo produzirá uma ramificação aumentando o volume foliar da árvore.

 

2.2 Pinçagem de "Árvores de Folhagem Perene - em Escamas"
Árvores que não perdem as folhas no inverno ( Juniperus procunbens e rígida, Larícios, Criptomélias, Ciprestes, ...)
Neste caso, as vezes, a brotação e o crescimento não são tão intensos, mas o tipo de pinçagem, geralmente com possibilidade de se fazer com as pontas dos dedos, deve ser feita da mesma maneira. Veja Abaixo:

 

2.3 Pinçagem de "Pinheiros"
Estas Árvores no inverno não perdem as folhas, que tem formato de agulhas. (Pinheiro Negro, Pinheiro Branco, ...)
O crescimento dos pinheiros é muito particular e complexo. Mas de maneira geral, podemos dizer que os pinheiros só apresentam uma brotação anual onde as gemas ( Velas ) despontam no início do verão. Devem ser podados, geralmente, no meio dessa estação, quando as velas estiverem grandes.

Os três primeiros desenhos acima mostram o vigor no crescimento das gemas de um pinheiro: No primeiro vemos a gema com o crescimento muito debilitado; neste caso, não devemos cortá-la. No segundo desenho observamos um vigor médio no crescimento, neste caso cortar apenas a metade da gema. No terceiro desenho o crescimento é muito intenso. Assim  podaremos dois terços do comprimento das gemas.  As velas podem ser pinçadas até com as mãos na maioria dos pinheiros.
Na verdade a brotação das velas nos pinheiros não se dão unitariamente. O que acontece é que na ponta dos galhos há uma brotação de varias velas (a quantidade varia de acordo com a espécie do pinheiro), e uma delas contem uma grande quantidade de hormônio de crescimento que as outras não possuem.

Assim a poda da vela que possui muito provocará a brotação das outras velas com menor poder de crescimento, gerando assim entrenós (distância entre ramificações de galhos) menores e criando maior densidade de folhas. É preciso atentar que nos bonsai de Pinheiros existem zonas de Brotação mais e menos intensas. No exemplo ao lado podemos classificar  três zonas de vigor de crescimento: Vigor Intenso, Médio Vigor e Pouco Vigor.

 

 

2.4 Pinçagem de árvores de folhas Caducas de crescimento anual
( Acer palmatum, Fagus,...)
 Estas Árvores perdem as folhas no inverno e tem seu crescimento praticamente paralisado após a época de sua brotação.
Estas podem ser desfolhadas no meio do verão para forçarmos uma segunda brotação anual. Vale lembrar que este procedimento poderá ser feito somente se a árvore estiver sadia.

 
Na época de brotação intensa (Primavera)  devemos cortar as gemas terminais, o que proporcionará maior ramificação. 

E Durante o período vegetativo ( do Verão ao Outono) não deixar galhos com mais de dois ramos para aumentar a densidade de galhos.  
 

2.5 Pinçagem de árvores de folhas Caducas de crescimento ativo durante todo o período vegetativo( Ulmus, Celtis, Ligustrum, Romã, Maça, Acer Tridente, Piracantha e Cotoneaster.)
Estas Árvores perdem as folhas no inverno e, geralmente apresentam crescimento intenso, inclusive durante o seu período vegetativo. São muito fáceis de se podar devendo-se deixar em cada ramo no máximo dois ou três pares de folhas, aumentando assim a quantidade de ramos.

 
Deixar crescer alguns ramos podando-os ainda na época de brotação, assim sairão novas gemas aumentando a densidade de folhas.
 

3. Aramação

A utilização dos arames na estilização de um bonsai apresenta as seguintes funções:

3.1 Corrigir a inclinação de ramos, permitindo assim utilizar ramos que, de outra maneira, teríamos que podar. De certo modo os arames provocarão o efeito do peso dos grandes galhos nas árvores, inclinando-os para baixo.
3.2 Direcionar o crescimento de galhos na direção onde a copa do bonsai se encontre vazia.
3.3 Direcionar o crescimento de galhos para a formação de uma copa triangular.

 

O Arame deve ser colocado nos galhos de maneira a não estrangular ou bloquear a circulação periférica da árvore. Se o colarmos de maneira incorreta,  ele poderá deixar marcas na casca da árvore, eliminando sua estética natural. 
Como os ramos engrossam devido ao seu crescimento, devemos tirar o arame antes que se crave na casca. Devemos usar arames de alumínio ou cobre, o de alumínio é mais flexível que o de cobre, em compensação o de cobre é mais resistente (Duro). A grossura do arame dependerá da força necessária para se vergar o ramo. Não esqueça que é de suma importância que os arames não deixem marcas na casca. Estes arames geralmente ficam na árvore por um período não superior a oito meses.

 

A regra mais importante é aramar evitando-se castigar a árvore. Para isso o conhecimento de técnicas de
 aramação é fundamental. Vamos fazer um "passo a passo" da aramação para que você veja como é fácil: 

 1 – Proteção

 

Proteja a casca da árvore, principalmente em suas regiões mais importantes, onde o arame será colocado. Faça isso com uma tira de borracha ou com filme plástico de cozinha (magipac).

 

 
2 - Bitola do arame
 

Devemos escolher a menor bitola que fará o serviço com eficiência.

 
3 - Colocação do Arame
 

O arame deve ser colocado usando-se as duas mãos. Cada uma terá a sua função. Para destros, por exemplo:
A mão direita será responsável pra fazer com que o arame envolva o galho com movimentos espiralados. E a mão esquerda irá absorver a maior parte da força exercida nesta operação.

 

Devemos ainda nos preocupar em deixar uma distancia mínima entre a casca e o arame, esta folga será a garantia de que não estamos machucando a árvore. Observe que a mão esquerda segura o arame junto ao tronco evitando que a força no processo de aramação seja descarregada nos galhos. A utilização incorreta da mão esquerda poderá acarretar marcas instantâneas na casca.

 

O arame deverá ter uma das extremidades escoradas em alguma parte do bonsai que não se movimente (um galho grosso ou tronco); a outra, envolveremos no galho que pretendemos mudar de direção e/ou  de movimento. Com o arame escorado os movimentos serão mais precisos.
Poderemos colocar mais de um arame no mesmo galho se for preciso. E este deverá estar paralelo ao já colocado, caso contrario iremos impedir a circulação da seiva que corre pela casca, com irreparáveis conseqüências para a árvore. 

 

Na imagem à esquerda podemos ver uma forma diferente de aramação. O mesmo arame é aproveitado para o direcionamento de dois galhos. Este aproveitamento beneficia a árvore que ficará menos sobrecarregada.

 

Devemos podar os galhos que não forem importantes esteticamente, mesmo que estes já estejam bem crescidos. O galho neste caso estava impedindo a visualização da frente do bonsai.

 
4 - Retirada do Arame
 

O artista só estará preparado realmente para aramar um bonsai quando tiver plena consciência que a retirada dos arames é tão importante quanto a sua colocação. Isto porque se adiantarmos a sua retirada os galhos voltarão um pouco para a posição anterior e se atrasarmos, os galhos crescerão sendo espremidos e marcarão a casca.
A retirada deve ser feita no momento em que o arame já esteja apertando o galho, mas ainda sem marcá-lo.
Retire o arame com um alicate próprio, nunca desenrolando o arame, pois assim você fatalmente poderá quebrar algum galho importante.

 

A informação da época adequada para a colocação do arame e tempo de permanência na árvore variará de acordo com a espécie. Geralmente poderemos obedecer a seguinte regra:

Tipo de Árvores

Colocação

Permanência média

Frutíferas ( Macieira, Romã, Amora, Piracantha, Ameixeiras,... )    

Verão

3 a 4 meses

Bonsai de Interior ( Primavera, Buxus, Carmona, Ficus, Podocarpus, Sagerétia, Serissa,... ) 

Antes da Primavera

1 a 2 meses

Árvores Caducas ( Acer palmatum, Acer tridente, Celtis, Ulmus,... )

Primavera

4 a 6 meses

Coníferas ( Cedros, Ginco, Juniperus, Pinheiros,...)

Inverno

8 a 10 meses

 
A bonsai kai capricha no fornecimento de informações para as pessoas que desejam se aprofundar no tema bonsai.
Não deixe de consultar nossa homepage:
www.bonsaikai.com.br
           
falecom@bonsaikai.com.br