Cuidados básicos com o Bonsai

 1 – O Local adequado (Insolação)

Image1.jpg

O bonsai deve receber sol diretamente em suas folhas. Dependerá de cada espécie se muitas ou poucas horas de exposição ao

sol. Para saber a insolação adequada à espécie de seu bonsai pesquise nos guias de cuidados por espécie que dispomos em nosso site bonsaikai.com.br

Image2.jpg

Procure um local ventilado e que possa receber sol. Normalmente as espécies que precisam menos luz solar direta, mas nunca menos que duas horas são: Buxus, Camélia, Carmona, Crássula, Cycas, Fícus, Lantana, Ligustrum, Podocarpo, Sagerétia e Serissa Essas podem permanecer no interior de ambientes, junto a uma janela sem cortinas com vidros lisos e transparentes.

As outras espécies só poderão permanecer em ambientes internos por curtos períodos. Uma sacada ou quintal onde os bonsai possam receber raios solares por um período maior do que quatro horas geralmente é suficiente para espécies: Abélia, Acer, Azálea, Caliandra, Celtis, Cerejeira, Cipreste, Cotoneaster, Flor da China, Gincko biloba, Ilex, Jabuticabeira, jasmim, Juniperus procumbens, Loropetalum, Macieira, Madressilva, Metasequoia, Oliveira, Piracanta, Primavera, Reseda, Romã, Salix, Tuia Prata, Ulmus e Zelkova. Já as Coníferas como Cipreste, Criptoméria, Juniperus chinensis, Metasequoia e Pinheiros, devem receber o Máximo de sol possível, pelo menos seis horas.

2 – Rega

Image3.jpg

Há duas coisas que uma pessoa precisa saber para regar um bonsai:

Como Regar?

Regar um bonsai é molhar toda a terra que está dentro do vaso.

Coloque água potável por cima da terra em toda a superfície até que está comece a sair por baixo nos orifícios do vaso.

No Calor pode-se molhar também a copa e galhos. Dificilmente o excesso de água prejudica o bonsai, mas a sua falta é fatal.

Com que Frequência ?

As árvores no Geral NÃO gostam de muita umidade na terra. Por isso geralmente devemos regar os bonsai somente quando a terra do vaso estiver quase seca. No geral, para vasos pequenos (Até 30cm de comprimento), regar todos os dias quando a umidade do ar estiver baixa e a temperatura acima de 20oC. Abaixo desta temperatura regar dia sim dia não. Vale muita nossa “observação constante", tanto do clima quanto da umidade da terra.

3 – Adubação

Todos nós comemos diariamente, os alimentos são imprescindíveis para se viver. As plantas alimentam-se dos sais nutritivos que extraem do solo. Como os bonsai vivem em vasos pequenos, a árvore poderá consumir todos os nutrientes da terra depois de um tempo, teremos então que ir repondo estes nutrientes por meio de adubos, geralmente a cada dois meses será suficiente.

É preciso adubar principalmente nas épocas de grande crescimento das plantas, esta adubação deve ser feita sem exageros. É muito melhor adubar em pequenas quantidades, mas com maior frequência do que fazê-lo esporadicamente em grandes quantidades. É Claro que se compreendermos bem o funcionamento das plantas, saberemos muito melhor como cultivá-las. A absorção da água do solo através das raízes além de hidratar a planta, possui a função de "carregar" consigo outros elementos essenciais à sua nutrição. Os principais nutrientes ou adubos existentes no solo e usados pelas plantas são divididos em dois grupos:

 

Os macro nutrientes exigidos constantemente pelas plantas:

N – Nitrogênio {Crescimento da parte Aérea, enfolhamento}

P – Fósforo {Floração e Frutificação}

K – Potássio {Crescimento das raízes e resistência contra pragas e doenças}

Mg – Magnésio {Composição da Clorofila e Ativador de enzimas}

S – Enxofre {Síntese da Clorofila e absorção do CO2 }

Ca – Cálcio {Crescimento das raízes e fecundação}


Os micronutrientes exigidos em pouca quantidade:

Cl – Cloro {Decomposição da água na fotossíntese}

Cu – Cobre {Respiração e síntese da clorofila}

Co – Cobalto {Absorção do Nitrogênio na fixação simbiótica}

B – Boro {Desenvolvimento de Raízes, frutos e sementes}

Mn – Manganês {Absorção do CO2 na fotossíntese}

Mo – Molibdênio {Fixação do nitrogênio}

Zn – Zinco {Produção e Maturação de Sementes}

Fe - Ferro {Respiração, síntese da Clorofila e fixação do nitrogênio}

e muitos outros...

4 – Troca de terra (Transplantação)

As raízes de todas as árvores crescem para encontrar água que precisam para viver. Assim sendo, quando uma árvore cresce num vaso, as raízes crescem até ocupar a totalidade desse espaço limitado, ao mesmo tempo a terra vai se esgotando e perde a faculdade de proporcionar os nutrientes que a árvore necessita. A frequência de transplantação ou troca de terra varia segundo a espécie e idade do bonsai e pode variar muito, desde as frutíferas que, regra geral, devem ser transplantadas anualmente, até os pinheiros que podem ser transplantados a cada 5 ou 7 anos.
ara saber a insolação adequada à espécie de seu bonsai pesquise nos guias de cuidados por espécie que dispomos em nosso site bonsaikai.com.br

Agende para trocar a terra regularmente dentro desta frequência. É importante lembrar que existe época adequada do ano para a transplantação, que variará também de acordo com cada espécie de árvore. A Bonsai Kai oferece serviço de troca de terra, contate-nos.

5 – Como dar forma aos Bonsai

Deixe a copa do seu bonsai sempre bem podada, imagine-o como uma "árvore gigante". Com exceção dos pinheiros e coníferas não existem grandes complicações em cortar os ramos, que normalmente crescem muito, principalmente na primavera. Visualize a forma de uma "mini árvore" e não tenha medo de podar. A poda, que deve ser feita com uma tesoura bem afiada, estimula novas brotações, preenchendo copa e deixando-a mais bonita. A Arte bonsai possui muitas técnicas de modelagem o que torna nosso hobby um dos mais interessantes. Em certas condições é possível transformar algumas árvores, até mesmo bem velhas, em belíssimos bonsai.

Se você quiser se aprofundar mais sobre este tema, consulte outros guias que dispomos.

Podar é estilizar a formação de uma árvore. Com a poda eliminamos os ramos defeituosos ou os ramos desnecessários (os que saem da zona não desejada no desenho da copa).

Na figura podemos ver uma serie de defeitos em galhos:

Defeitos nos galhos.jpg
Image50.jpg
Image51.jpg

As árvores mais antigas na natureza são normalmente encontradas onde as condições de temperatura e pressão são relativamente baixas. Isso acontece no alto das montanhas, onde as temperaturas permanecem abaixo de zero a maior parte do ano. Essa condição nos mostra árvores com troncos impressionantemente retorcidos, copas das mais diferentes formas, devido à ação do tempo. O vento, luz, temperatura, umidade, além de outras condições

formam verdadeiras esculturas vivas, que nos encantam por sua beleza e diferenciação estética. Os galhos inferiores e mais antigos têm sua inclinação voltada para

baixo, provocada pela ação do peso. Imitaremos isso nos bonsai. A forma cônica das copas são fatores estéticos coletados por observação que devem ser levados em conta na elaboração do bonsai. Se ainda pormenorizar nossa atenção e nos atentarmos as características de texturas e cor da casca dos

troncos, poderemos projetar modelos ou réplicas das formas das árvores mais antigas criando assim a impressão visual de tensão que são transmitidas através da estética natural e captadas pela sensibilidade do homem. Na composição do bonsai inclui-se logicamente o vaso, que deve adequar-se ao conjunto com forma e textura adequadas.

MOLD 020.jpg